Passar para o Conteúdo Principal
siga-nos

33.º Aniversário da Convenção dos Direitos da Criança

9 1 980 2500
21 de Novembro de 2022

No dia em que se celebrou o 33.º Aniversário da Convenção dos Direitos da Criança, a Comissão de Proteção de Crianças e Jovens em Perigo de Tarouca desenvolveu um conjunto de atividades para que a efeméride fosse simbolicamente assinalada.

No desporto adquirem-se importantes ferramentas de cidadania, e por isso, durante a manhã, no Pavilhão Gimnodesportivo e no Complexo Desportivo foram exibidas várias faixas que aludem aos bons princípios que devem prevalecer durante a prática desportiva, onde o respeito pelo próximo assume um papel crucial.

À tarde, no Auditório Municipal Adácio Pestana, a exposição “Afeto e Amor em Família” era o reflexo dos valores que regem a CPCJ: crianças felizes e amadas no seio das suas famílias.

Seguiram-se as atuações do grupo de Hip Hop do Ginásio Clube de Tarouca, e as emocionantes interpretações musicais de fado e das crianças do Coro da Academia de Música de Tarouca, que deixou grande parte dos adultos presentes de olhos lacrimejantes.

“Todos somos professores e aprendizados em matéria de proteção das nossas crianças, replicando bons exemplos e procurando mitigar as situações em que a defesa dos seus superiores interesses não é assegurada. Em todos estes anos de crescimento e aprendizagem enquanto Presidente da Comissão de Proteção das Crianças e Jovens em Risco contei sempre com o valioso contributo de um conjunto de comissários e entidades que diariamente se empenham e dão de si em prol de uma causa maior, as nossas preciosas crianças”, referiu na sua alocução a Presidente da Comissão de Proteção de Crianças e Jovens em Perigo, Susana Gouveia.

O programa terminou com chave de ouro, com todas as crianças presentes a cantar em uníssono “vamos todos dar as mãos”, acompanhadas na viola pelo Presidente da Câmara Municipal de Tarouca, Valdemar Pereira.

A 20 de novembro de 1989, a Assembleia Geral das Nações Unidas adotou a Convenção dos Direitos da Criança, que define quatro pilares fundamentais: não discriminação, supremo interesse da criança, participação, sobrevivência e desenvolvimento.