Passar para o Conteúdo Principal
siga-nos

20 anos de reabilitação do Mosteiro de São João de Tarouca

Img 7556 1 980 2500
21 Abr 2018

Integrada nas comemorações do Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, assinalado a 18 de abril, os 20 anos de reabilitação do Mosteiro de São João de Tarouca ficaram marcados com uma visita aberta a todo o complexo monástico, no dia 21 de abril, que foi guiada por Luís Sebastian, Diretor do Museu de Lamego, coordenador da rede de monumentos Vale do Varosa e arqueólogo co-responsável pela intervenção.

O Vice-Presidente da Câmara Municipal de Tarouca, José Damião Melo, marcou presença na iniciativa, que constituiu uma oportunidade única de reviver 20 anos de intervenção e reabilitação do complexo monástico, que acabaria por dar lugar à rede de monumentos Vale do Varosa.
A Associação Sociocultural de São João de Tarouca, que se associou à iniciativa, presenteou os participantes com bôlas de farinha de milho dos Moinhos de São João de Tarouca e enchidos regionais.

O Mosteiro de São João de Tarouca, o primeiro da Ordem de Cister a ser construído em Portugal, foi fundado em 1140, pelo ainda conde Afonso Henriques. A construção começou em 1154 e o complexo monástico viria a ser largamente ampliado no século XVII e XVIII com a construção de novos edifícios, de entre os quais se destaca um novo e colossal dormitório.

Em 1834, com a extinção das Ordens Religiosas em Portugal, a igreja foi convertida em igreja paroquial e as dependências monásticas foram vendidas em hasta pública, sendo os edifícios explorados como pedreira até aos inícios do século XX.

Com a igreja classificada como Monumento Nacional em 1956, tendo a proteção sido estendida a todo o conjunto em 1978, em 1996 o Estado Português iniciou a gradual aquisição de toda a área monástica, dando início à escavação arqueológica em abril de 1998. Finda a escavação em 2007, cerca de dois anos depois arrancava o projeto Vale do Varosa, que passava a integrar, além de São João de Tarouca, mais dois monumentos de relevo. O vizinho, também cisterciense, Mosteiro de Santa Maria de Salzedas e, já no concelho de Lamego, o Convento franciscano de Santo António de Ferreirim.